A MULHER SUBALTERNA EM “PODE O SUBALTERNO FALAR?” DE GAYATRI SPIVAK

Bruna Valença Bacelar

Resumo


A opressão sofrida pela mulher é um tema bastante debatido no meio acadêmico, porém as perspectivas pelas quais ele pode ser estudado ainda não estão esgotadas. Na obra “Pode o subalterno falar?”, a autora Gayatri Spivak (2014) faz abordagens interessantes sobre o assunto e, apesar de concentrar o texto na análise sobre o sujeito subalterno, aquele que não tem voz política ou não é ouvido, aponta como a mulher é um sujeito duplamente oprimido, pela dominação imperial na divisão internacional do trabalho e pela dominação masculina na construção ideológica de gênero. Este trabalho tem por objetivo analisar a questão da mulher na obra já citada, por meio de revisão bibliográfica das teorias feminista, pós-colonialista e pós-estruturalista para tal, além de utilizar alguns conceitos como patriarcado, gênero e deslocamento. O foco da análise será a subalternidade das mulheres periféricas, considerando que o exemplo do sacrifício das viúvas indianas utilizado na obra de Spivak (2014) é apenas mais um caso em que a visão hegemônica ocidental criminaliza uma prática sem ouvir a voz dessas mulheres, numa ação que as oprime ainda mais.

Texto completo:

21-31 | PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2447-2646