TAXA DE CÂMBIO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO: ANÁLISE SOBRE BRASIL, CHINA E ÍNDIA

Charles Leopoldino Marcolino

Resumo


Vários indicadores econômicos esbarram no conceito de desenvolvimento, como ele ocorre, quais fatores são necessários para que se modifique e aja dentro de determinado país. Contudo para que o desenvolvimento aconteça de forma eficaz e contínua necessita de taxas de crescimento ao longo prazo. Diversas teorias buscam explicar os caminhos para um crescimento ao longo prazo. A Teoria Macroestruturalista do Desenvolvimento coloca o câmbio como fator principal para obter taxas de crescimento sustentáveis a longo prazo indicando como as políticas adotadas agem nas economias e ainda como a sobrevalorização da taxa cambial é nociva para o crescimento e desenvolvimento da economia de um país. Assim, Brasil, China e Índia considerados países emergentes e em desenvolvimento tiveram seus índices de PIB, PIB per capita e IDH analisados entre 1999 e 2014 para verificar a incidência ou não dos princípios da macroeconomia estruturalista em seu crescimento a longo prazo.

Texto completo:

86-108 | PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2447-2646