Notícias

25/jun/2019

O poder do trabalho voluntário

VOLUNTARIADO CRESCE E ATRAI JOVENS EM TODO PAÍS. UM DELES É WENDSON GOMES, EGRESSO DA FACULDADE, QUE, DESDE CEDO, DESPERTOU A VONTADE DE AJUDAR O PRÓXIMO

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o trabalho voluntário é uma atividade que vem crescendo no Brasil. Na pesquisa Outras Formas de Trabalho 2017, realizada pelo IBGE e divulgada em abril deste ano, o número de brasileiros que fazem trabalho voluntário cresceu 12,9% em 2017, em comparação com o ano anterior. Sobretudo é uma atividade que desperta o interesse dos jovens, atualmente mais conectados e preocupados em transformar o mundo através de ações sociais que promovam igualdade e sustentabilidade. Na Faculdade Damas, o egresso Wendson Gomes, do curso de Administração, despertou desde cedo o espírito de ajudar o próximo, o que, além da satisfação pessoal, vem gerando frutos também no campo profissional.

O IBGE classifica o trabalho voluntário como aquele não compulsório, realizado por pelo menos uma hora na semana, sem receber remuneração ou benefícios em troca, e realizado em apoio a pessoas que não moram no mesmo domicílio do entrevistado e não são de sua família.

Aos 14 anos, Wendson teve o primeiro contato com trabalhos sociais em um projeto da igreja da qual fazia parte na época. “Fiz parte do projeto social Luz do Nordeste e a partir daí eu peguei gosto pela questão social. A gente fazia viagens para interiores, para aqui perto também, e tinha como missão levar, além da palavra da bíblia, atendimento médico, recreação para as crianças, etc. Nessa época, vi que tinha mais aptidão para trabalhar com crianças, que poderia ajudar elas de forma lúdica, com teatro e outras atividades”, relembra Wendson.

Após dois anos na Luz do Nordeste, Wendson conheceu a Galera do Bem, grupo de trabalhos voluntários do qual faz parte atualmente e atua na comissão, organizando as ações. “A Galera do Bem é um grupo de ação social voltado à realização de visitas a orfanatos, creches, abrigos, levando doações e fazendo um dia diferente para essas pessoas, seja um Carnaval ou São João fora de época ou levando mantimentos para a instituição, contribuindo para a estrutura”, detalha.

A temática voltada aos trabalhos sociais também foi abordada no trabalho de conclusão de curso de Wendson, dessa vez com um olhar voltado às organizações. Com o título Marketing 3.0, Responsabilidade Social e Empreendedorismo Social: um estudo de caso no Shopping Center Recife, a pesquisa do ex-aluno da Faculdade Damas analisou a atuação do Instituto Shopping Recife na promoção de cursos de capacitação para jovens entre 14 e 18 anos da Comunidade Entra Apulso, vizinha ao centro de compras.

“Vivemos uma era em que as pessoas não estão só preocupadas em comprar, mas querem saber o que é que a empresa tem a oferecer por trás do produto ou serviço prestado. Qual é a responsabilidade que a empresa tem além do cliente? A organização que tiver esse destaque na questão social, ela sai na frente, pois irá agregar valor a sua marca, a sua identidade”, analisa Wendson.

A predisposição para trabalhos sociais também acompanhou Wendson na vida profissional. Hoje, ele trabalha em uma empresa de gestão educacional que desenvolve as Olimpíadas de Jogos para os alunos da rede municipal da cidade do Recife. E a bagagem com trabalhos sociais foi um diferencial na hora da seleção de emprego. É um perfil cada vez mais observado pelos recrutadores.

“Nas últimas entrevistas de emprego que eu fiz, sempre tinha uma pergunta sobre se você era voluntário ou não. Então realmente é um peso.  As pessoas que estão preocupadas com as outras pessoas mostram um lado mais importante, da preocupação com o ser humano, com a sociedade, e não somente com o retorno financeiro”, avalia.

Porém, é importante frisar que o trabalho voluntário, antes mesmo de ser pensando em forma de agregar ao currículo e carreira profissional, deve ser iniciado com o intuito de praticar a solidariedade. “Acredito que é importante, que o voluntariado é um peso na seleção de emprego, mas também deve ser algo verdadeiro, que saia de dentro pra fora, de forma espontânea”, analisa Wendson.

Quem quiser conhecer um pouco mais sobre os trabalhos da Galera do Bem, grupo que Wendson faz parte, é possível acompanhar as ações no Instagram e Facebook. Além de ações em abrigos e lares de crianças e idosos, o grupo também promove mutirões para doação de sangue, é outra forma de ajudar em causas sociais. Uma dessas ações foi em parceria com a Faculdade Damas, em novembro do ano passado, quando foi promovida uma campanha de doação de sangue.

Quer estudar na Faculdade Damas?

Preencha os dados abaixo e receba mais informações sobre o curso do seu interesse.